Seguidores

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Segundo passo para continuar a Reforma Íntima

NO RETOQUE DA PALAVRA

- Seja onde for, não afirme: - Detesto esse lugar! Cada criatura vive na terra dos seus credores.

- Ouvindo a frase infeliz, não grite: - É um desaforo! Invigilância alheia pede a nossa vigilância maior.

- Atravessando a madureza, não se lamente: - Já estou cansado! Sintonia de exaustão, vontade enferma.

- Sentindo a mocidade, não assevere: - Preciso gozar a vida! Romagem terrestre não é excursão turística.

- A frente do amigo endividado não ameace: - Hoje ou nunca! Agora alguém se compromete, amanhã seremos nós.

- Ao companheiro menos categorizado, não ordene: - Faça isso! Indelicadeza no trabalho, ditadura rídícula.

- Perante o doente não exclame: - Pobre coitado! Compaixão desatenta, crueldade indireta.

- Ao vizinho faltoso nunca diga: - Dispenso-lhe a amizade! Todos somos interdependentes.

- Sob o clima da provação, não se queixe: - Não suporto mais! O fardo do espirito gravita na órbita de suas forças.

- No cumprimento do dever não clame: - Estou sozinho! Ninguém vive desamparado.

- Colhido pelo desapontamento, não reclame: - Que azar! A lei Divina não chancela improvisos.

- À face do ideal não se lastime: - Ninguém me ajuda! No Cristianismo temos responsabilidades pessoal com o Cristo. ( De Francisco Cândido Xavier, médium, por André Luiz, Espírito )

domingo, 15 de agosto de 2010

Para iniciar a reforma íntima....Sugestão

1 - Evitar falar das pessoas. Se possível falar com as pessoas;
2 - Evitar ver ou declinar os defeitos dos outros e muito menos exprobá-los sobre isso;
3 - Evitar fazer zombarias e brincadeiras de mau gosto com quem quer que seja;
4 - Manter-se neutro, ao ouvir conversas e referências menos felizes de outras pessoas;
5 - Não criticar, não condenar, não julgar, sob nenhum pretexto ou alegação;
6 - Não se irritar com nada nem com ninguém;
7 - Começar a agradecer mais e a reclamar mentos e a vigiar-se mais não se esquecendo da oração;
8 - Ouvir mais e com atenção. Falar, se possível, quando solicitado e se fazendo de rogado;
9 - Respeitar-se e aos outros e a tudo;
10 - Tolerar qualquer ofensa, de quem quer que seja, sem reclamar e ainda orar pelo ofensor, nosso instrutor naquele momento.
Esse roteiro é para ser exercitado contidianamente com uma auto avaliação de si mesmo no final do dia. [15-08-2010]

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

A Viagem que a grande maioria não quer ou reluta em fazer

Até os dias presentes, segundo a minha visão, o homem se envolveu intensamente com o exterior. Viajou sempre para fora de si mesmo numa busca vã de vencer, prosperar e ser feliz. Já foi tão longe que chegou a pisar o solo lunar. Valoriza sempre a embalagem e nunca o interior; para ele a aparência e o visual é tudo. Está preocupado com o rótulo e não com o produto nem tão pouco com a essência. Isto acontece, também, com a religião que se diz professar, (e nem sempre praticar) esquecendo a religiosidade a qual não depende de seita. Quando infeliz, o homem faz projeções culpando o parente difícil, o vizinho enigmático, o governo ou a sociedade e nem passa perto da sua cerviz que o problema está dentro dele, no imo de seu ser. Busca a felicidade fora de si. Põe-na nas coisas materiais perecíveis ou nas alturas inatíngiveis. Chega a pensar que, para ser feliz, depende de alguém que o faça assim. No entanto, a felicidade não pode depender do outro ou da outra pessoa para fazê-lo feliz; nem das posses de coisas materiais. Afinal o homem está perdido e com o endereço ou com a rota errada. É preciso e urgente que o homem descubra que precise inverter a rota do seu intinerário. Viajar para dentro de si, é preciso, é imprescindível, é urgente, é imperioso. Na verdade o homem não se conhece e pensa que conhece o outro ou os outros (ledo engano! "Conheça-te a ti mesmo" para, depois, procurar descobrir o outro). Poucos se deram conta do ponto de partida: O PENSAMENTO. No pensamento começa a nossa história, a nossa trajetória, o nosso destino, a nossa felicidade ou nossa infelicidade, o sucesso ou o infortúnio, a saúde ou a doença. O homem não imagina que a força do pensamento é a maior energia que movimenta os Mundos, os Universos (o pensamento de Deus e o pensamento do Espírito (homem)). Para que haja movimento é preciso, primeiro, que haja uma força. E para que haja uma força é preciso que, antes, exista o pensamento. Pois é o pensamento que comanda tudo e daí ser o pensamento, que é gerado por um ser pensante, ser o ponto de partida. Viajemos para dentro de nós, aí estão todos os segredos de tudo que possa libertar-nos...Esse é o ponto de partida da difícil, mas imprescindível e necessária Reforma Íntima, sem a qual não se atinge à Felicidade Plena. [13-08-10]