Seguidores

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

A Viagem que a grande maioria não quer ou reluta em fazer

Até os dias presentes, segundo a minha visão, o homem se envolveu intensamente com o exterior. Viajou sempre para fora de si mesmo numa busca vã de vencer, prosperar e ser feliz. Já foi tão longe que chegou a pisar o solo lunar. Valoriza sempre a embalagem e nunca o interior; para ele a aparência e o visual é tudo. Está preocupado com o rótulo e não com o produto nem tão pouco com a essência. Isto acontece, também, com a religião que se diz professar, (e nem sempre praticar) esquecendo a religiosidade a qual não depende de seita. Quando infeliz, o homem faz projeções culpando o parente difícil, o vizinho enigmático, o governo ou a sociedade e nem passa perto da sua cerviz que o problema está dentro dele, no imo de seu ser. Busca a felicidade fora de si. Põe-na nas coisas materiais perecíveis ou nas alturas inatíngiveis. Chega a pensar que, para ser feliz, depende de alguém que o faça assim. No entanto, a felicidade não pode depender do outro ou da outra pessoa para fazê-lo feliz; nem das posses de coisas materiais. Afinal o homem está perdido e com o endereço ou com a rota errada. É preciso e urgente que o homem descubra que precise inverter a rota do seu intinerário. Viajar para dentro de si, é preciso, é imprescindível, é urgente, é imperioso. Na verdade o homem não se conhece e pensa que conhece o outro ou os outros (ledo engano! "Conheça-te a ti mesmo" para, depois, procurar descobrir o outro). Poucos se deram conta do ponto de partida: O PENSAMENTO. No pensamento começa a nossa história, a nossa trajetória, o nosso destino, a nossa felicidade ou nossa infelicidade, o sucesso ou o infortúnio, a saúde ou a doença. O homem não imagina que a força do pensamento é a maior energia que movimenta os Mundos, os Universos (o pensamento de Deus e o pensamento do Espírito (homem)). Para que haja movimento é preciso, primeiro, que haja uma força. E para que haja uma força é preciso que, antes, exista o pensamento. Pois é o pensamento que comanda tudo e daí ser o pensamento, que é gerado por um ser pensante, ser o ponto de partida. Viajemos para dentro de nós, aí estão todos os segredos de tudo que possa libertar-nos...Esse é o ponto de partida da difícil, mas imprescindível e necessária Reforma Íntima, sem a qual não se atinge à Felicidade Plena. [13-08-10]

Nenhum comentário:

Postar um comentário